Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Canadá anula o Brasil e conquista a classificação para a Copa do Mundo de 2019

Basquete

04/12/2018 11h18

Basquete

Canadá anula o Brasil e conquista a classificação para a Copa do Mundo de 2019

Derrota por 94 x 67 deixou o Brasil pendente de um triunfo nas duas últimas rodadas fora de casa para se garantir no evento que reserva vagas para os Jogos de Tóquio, em 2020

Ainda não foi desta vez que a Seleção Brasileira Masculina carimbou o passaporte para a China. Com um aproveitamento ofensivo de 32% e sem conseguir superar a defesa canadense, o time treinado pelo técnico Aleksandar Petrovic perdeu por 94 x 67 (45 x 34). A partida foi disputada no ginásio Wlamir Marques, do Corinthians, em São Paulo, na noite desta segunda-feira (3.12).

O resultado garantiu o Canadá, que soma oito vitórias e duas derrotas no Grupo F da qualificatória, no torneio que reunirá 32 seleções na China, de 31 de agosto a 15 de setembro de 2019. Com sete vitórias e três derrotas, o Brasil ocupa a terceira colocação na chave. Precisa vencer pelo um dos dois jogos fora de casa em fevereiro (contra Ilhas Virgens e República Dominicana), para assegurar pelo menos o terceiro posto do grupo. A líder da chave é a já garantida é a Venezuela, com nove triunfos e um tropeço na competição.

Seleção Brasileira acumula sete vitórias e três derrotas na fase de qualificação para a China. Foto: FIBA

A Copa do Mundo de Basquete de 2019 será disputada em oito cidades chinesas: Pequim, Foshan, Wuhan, Shenzhen, Dongguan, Naquim, Xangai e Guangzhou. Serão 92 jogos em 16 dias. A decisão será em Pequim. A fase de qualificação reúne 80 países e distribui 31 vagas. A China, anfitriã, está automaticamente garantida. Ao todo, serão cinco equipes africanas, sete das Américas, oito da Ásia e 12 da Europa.

Pela primeira vez, a Copa do Mundo vai qualificar diretamente sete equipes para os Jogos Olímpicos. Pelos critérios definidos pela Federação Internacional de Basquete, os melhores times da África, da Ásia, da Oceania e os dois melhores da América e da Europa na Copa do Mundo vão carimbar o passaporte para Tóquio, em 2020.

O jogo

Na partida da noite desta segunda-feira (03.12), o destaque foi o ala-pivo canadense Kyle Wiltjer, que anotou 25 pontos (com aproveitamento de seis em sete arremessos de dois pontos) e sete rebotes. No lado brasileiro, Marquinhos foi o principal pontuador, com 17 pontos.

Assim como na vitória recente diante dos dominicanos, a Seleção começou errando bastante no ataque. Do outro lado, o ala-pivô Kyle Wiltjer estava com a mão quente e acertou seus dois primeiros arremessos de três para colocar o Canadá em vantagem. A diferença chegou a ser de cinco pontos, mas rapidamente o Brasil entrou no jogo. Liderado por Scott Machado, o time tomou a dianteira do marcador com dois lances livres do próprio armador. Os visitantes abusavam das bolas de três, e com um tiro certeiro de Conor Morgan a Seleção perdeu a liderança mais uma vez. Mas Benite também estava inspirado e anotou duas bolas de três seguidas.

Se contra a República Dominicana Lucas Dias e Marquinhos entraram bem e mudaram o ritmo do time, nesta segunda-feira a dupla errou quatro arremessos de três. Leandrinho entrou no lugar de Benite no fim do primeiro quarto, mas não teve tempo de fazer quase nada. O jogo só não escapou porque os tiros de longa distância dos canadenses passaram a não cair, e o Brasil sustentou a vitória parcial por 20 a 18.

No segundo quarto, contudo, veio o apagão. Sem conseguir neutralizar o ataque adversário e desperdiçando chances em sequência, a Seleção viu o Canadá fazer 17 x 2 nos primeiros seis minutos e abrir 15 pontos. Scott Machado acordou e com ele o time brasileiro. A diferença até caiu para sete pontos, mas os canadenses erravam pouco. Com aproveitamento de quase 50% nos arremessos de quadra, a equipe do técnico Roy Rana foi para o intervalo vencendo por 45 x 34.

O segundo tempo começou ainda pior. Benite até anotou os dois primeiros pontos da etapa final, mas se aproveitando de um sistema defensivo falho, o Canadá novamente abriu 15 pontos após duas bolas de três dos irmãos Thomas e Phil Scrubb. Leandrinho descontou e diminuiu o prejuízo, mas Wiltjer fez mais dois para o Canadá.

Se o Brasil seguia irreconhecível, o Canadá não tinha nada com isso. Petrovic tentava de tudo, mas mesmo com as mudanças feitas pelo treinador croata, quase nada dava certo. Do outro lado, as bolas canadenses continuavam caindo, e a diferença pulou para 21 pontos a menos de dois minutos do fim do terceiro quarto. Com vitória parcial de 31 x 18, a equipe canadense entrou nos 10 minutos finais com vantagem de 24 pontos.

Mesmo com a vitória praticamente assegurada, o time canadense não diminuiu o ritmo no último período. Pelo lado brasileiro, o aproveitamento continuava abaixo do normal. As bolas do ala Marquinhos até começaram a cair, mas era tarde para pensar numa reação. Já com os titulares no banco, o Canadá só deixou o tempo passar para se recuperar da derrota para a Venezuela.

Fontes: Confederação Brasileira de Basquete e Federação Internacional de Basquete